Mosquitolândia – David Arnold (Texto por Bibbi Bokken)

Querida Isa…

Assim começa Mosquitolândia, com as cartas de Mary Iris Malone, Mim para todos os outros, Mary apenas para a sua mãe. Mim está passando por momentos complicados, diagnosticada com problemas mentais, diagnóstico que não sabemos ser fruto da insistência de seu pai em descobrir – e curar – algo de errado nela ou real.

” Os muitos diplomas emoldurados na parede garantiam a todos que ele era um médico e não, como eu suspeitava, um palhaço profissional.”

Ela agora vive em outra cidade, com o pai e madrasta. Mim sempre foi próxima da mãe e com o divórcio e  a mudança da cidade ela se sente abandonada, tem raiva da madrasta e não confia mais no pai. Um belo dia, pouco depois de receber o que ela chama de NOTÍCIAS BOMBÁSTICAS, assim mesmo em caixa alta, ela decide encarar uma viagem de 1.500 km para encontrar a mãe de quem não tem notícia a quase 3 semanas. A viagem é uma verdadeira odisséia, divertida, cheia de referências a outros livros e a filmes e séries.

Em nenhum momento me preocupei em saber  quais eram as a notícias bombásticas, ou o que aconteceria quando Mary chegasse ao seu destino, a viagem na verdade já é bem divertida. No meio do caminho Mim faz grande amigos, conhece pessoas vazias, de um jeito triste e de um jeito perigoso, compreende um pouco mais sobre si mesma e sobre a verdade por traz das suas questões familiares e aos poucos, por meio das cartas para Isa vai contando a sua história.

” Arlene pigarreia daquele jeito que os velhos fazem, quando não se sabe se é uma risada, um tosse ou o seu último suspiro” 

Mary está escrevendo cartas para Isa em um diário, em cada uma dessas cartas ela revela motivos, talvez motivos para a sua fuga ou para a sua loucura. Os motivos mostram uma adolescente confusa, cheia de problemas familiares. Podemos perceber que muitas vezes os pais erram ao tentar garantir o futuro dos filhos. O pai de Mim estava errado em tentar garantir que a filha tivesse uma vida normal tão enfaticamente, mas em um certo momento eu e personagem compreendemos o motivo dessa busca incessante por uma doença, por um sinal de loucura. Para as doenças existem remédios, mas para os problemas normais de uma adolescente com graves problemas familiares não.

Outra coisa interessante é perceber o quanto a maturidade chegou cedo para Mim, mesmo que alguns resquícios de uma adolescente ainda estejam presentes, como a timidez e as atitudes inconsequentes, Mim já não tem muito de uma criança, isso porque os problemas de uma vida adulta a atingiram cedo, a obrigaram a crescer e  a entender certas coisas.

“Às vezes, algumas coisas são mais constrangedoras quando se está sozinho. Acho que quando não tem ninguém por perto para ouvir a idiotice você é forçado a suportá-la”

Fiquei apaixonada pelo livro sinceramente, é uma leitura bem agradável.  O livro me lembrou desde as primeiras páginas um outro romance para o qual eu não dava nada e acabei apaixonada, chamado Claros Sinais de loucura, e essa foi justamente a sugestão que a Amazon me deu. Quem gostou de um quase certamente irá gostar do outro.

É um livro bem curtinho, de leitura fácil, da tranquilamente para ler a versão e-book. Espero que o coloquem na lista de leitura de vocês, eu super recomendo!! Já que comecei o post ao estilo Mim vou termina-lo também então :

Cambio desligo 
Bibbi Bokken – uma fanática por recomendar livros.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: