O médico e o monstro (Texto por Bibbi Bokken)

O Médico e o Mostro é um clássico de renome indiscutível. A obra menos pretensa e mais famosa de Robert Louis Stevenson veio a ele na forma de um sonho, foi escrita em 6 dias e teve duas versões (a primeira delas queimada pelo autor, após duras críticas de sua esposa). Ele nem imaginava que esse seria o trabalho de sua vida, a obra pelo qual, já no século XXI , ainda seria comentada e discutida.

A Amazon tem disponibilizado já a um tempo, gratuitamente a edição do e-book traduzida por Ana Julia Perrotti-Garcia, um e-book com uma capa muito bonita, uma introdução interessante (como poucas o são) e aparentemente bem editada. Eu aproveitei então a oportunidade para conhecer esse livro que é tão falado.

Infelizmente não é possível fugir de “spoilers” de um livro tão famoso como esse, então não tem como dizer que esse foi um livro surpreendente, mas seria com certeza se eu não o conhecesse.

A proposta do livro é falar dos experimentos de um certo Dr. Jekyll, que decidiu ser a própria cobaia de seus estudo. O livro é narrado por seu advogado e amigo íntimo Mr. Utterson, que após receber um estranho testamento de seu amigo começa a suspeitar de sua sanidade e temer por sua segurança. Ao mesmo tempo surge Mr Hyde, um homem com uma aparência repugnante e que causava em todos um medo inexplicável, a quem Jekyll insiste proteger.

Como compreender que o agradável e o repugnante possam coexistir em um único ser? De certa forma o livro fala sobre a nossa eterna luta interna entre o que queremos e o que devemos fazer, entre a nossa personalidade reprimida e aquela que apresentamos todos os dias.

“Meus dois lados eram totalmente sinceros; eu não era mais eu mesmo quando abandonava a contenção e mergulhava na vergonha do que quando eu trabalhava, à luz do dia, para a promoção do conhecimento ou para o alívio da dor e do sofrimento.”
” Das duas naturezas que duelavam no campo de minha consciência, mesmo se pudesse pender corretamente para uma delas, isso ocorreria porque eu era radicalmente ambas.”
(O médico e o Monstro – Stevenson, R.)

o médico e o monstro

Após ter descoberto como separar completamente as duas personalidades de seu “eu”, Jenkyll logo percebe que é muito mais fácil permanecer em sua metade obscura, que surge agora sozinha e de maneira inevitável. Penso que isso não aconteça porque o mal é mais forte ou porque é mais fácil ser aquilo que queremos ser, mas sim por essa personalidade ter sido tão duramente reprimida que cresceu em silêncio até o momento em que já não podia mais ser contida.

Mesmo se tratando de um romance do sécúlo XIX, tudo o que vive Jenkyll é muito contemporâneo, essa busca por aceitação e por autoconhecimento, que muitas vezes ainda leva a atos quase tão desesperados e irresponsáveis quanto os do médico criado por Stevenson. O livro é bem curtinho, e a forma como o livro evolui faz com que seja quase impossível parar de ler.

O livro pode ser comprado ( até o momento por R$ 0,00 ) no site da Amazon clicando aqui.

Bibbi Bokken – uma fanática por recomendar livros.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: