Sete motivos para adquirir um dispositivo eletrônico para leitura

Há algum tempo venho me apaixonando pelos livros digitais. E tudo começou quando comprei- ceticamente -um dispositivo para leitura eletrônico, ligado à gigante que domina o gênero, a Amazon.

Eu nem sabia que existia algo tão maravilhoso quanto prático, oferecendo tantas facilidades em conjunto. O conheci nas mãos da minha amiga Rosy, na varanda do salão de jogos do nosso condomínio, enquanto eu me acomodava em outra cadeira, também com um livro na mão, bem mais pesado, e difícil de segurar. Ela me explicou o que era, e não sei porque, não entendi. Talvez porque achei muito doido, muito revolucionário. Não podia ser daquele jeito: “você compra com um clic daqui mesmo, e dentro de poucos segundos, o livro está a sua disposição para leitura.” Eu indaguei como pagar e ela disse: pelo cartão. Já me vi tendo que sacar o cartão e digitar os dados à cada compra, e essa desvantagem técnica foi o suficiente para fazer cessar a minha curiosidade. Descartei a ideia, e me concentrei no livro de papel.

Passado alguns dias, recebi a oferta, por email, para a compra de um Kindle, em promoção. Sempre acho que o céu conspira a meu favor: prestei atenção ao anúncio, porque coincidências não existem para quem crê. Lembrei do meu primeiro contato que ocorrera dias antes. Seria o mesmo modelo? Fiz uma visita para a Rosy, que mora, alguns andares abaixo do meu apartamento. Parcialmente catequizada, olhei, peguei, experimentei, entendi melhor o funcionamento, e me senti atraída para aquele objeto fino e leve, que me acenava com um amplo mundo literário, ao alcance das mãos.

Ainda sem ter certeza do custo x benefício, comprei o Kindle diretamente da Amazon, e escolhi o modelo que oferece a melhor tecnologia, e os maiores recursos, dotado de luz embutida e Wi-fi, mas não a versão 3G, porque onde moro ainda não há esse recurso, e não vi porque pagar a mais por algo que eu não usaria a curto prazo.

Decorridos seis meses da aquisição posso falar livremente sobre ela sem medo de parecer precipitada: valeu a compra. E sim, posso explicar porque em sete motivos.

Em primeiro lugar: sou apaixonada por dispositivos eletrônicos pessoais que carregam a minha senha digital, que cabem na minha bolsa, que se incorporam ao meu dia a dia, que vão comigo a todos os lugares, que são efetivamente meus, e de mais ninguém. É assim com o celular, com o Ipad, e com o Kindle, aparelhos extremamente leves, que me jogam no cenário universal e trazem de volta a sensação prazeirosa de ser uma unidade celular individualizada, sem deixar de existir coletivamente. Algo que, na minha adolescência, eu só podia usufruir sozinha, em forma de um diário, guardado a sete chaves. Esse é o primeiro benefício: preencher com amplas vantagens as teorias subversivas da adolescência que valorizam, ao extremo, as caixas, caixinhas, e guardados pessoais secretos. Quem disse que eu não tenho compartimentos secretos dentro do meu Iphone, Ipad ou Kindlle? Eu tenho!

Em segundo lugar: ter um Kindle ligado a uma empresa que oferece livros com as respectivas amostras grátis, instantaneamente, entregando os produtos digitais em segundos, é impossível resistir. Ao comprar o seu dispositivo de leitura eletrônica você é convidado a cadastrar um cartão de crédito. Um único cadastro resolve todos os seus débitos. Nunca mais você precisará reenviar os dados porque eles estarão armazenados junto à Amazon, a não ser que o cartão tenha a sua data de validade vencida, e nesse caso, você terá que providenciar outro para substitui-lo. Claro que estamos comercializando com uma empresa que goza de um altíssimo nível de confiabilidade.

Em terceiro lugar: enfatizo o quesito “enviar amostra grátis.”Eu amo uma amostra grátis. Qualquer amostra grátis! Amo! Gosto de experimentar as coisas antes de adquiri-las. Hoje, quase tudo pode ser experimentado, um pouco antes que o levemos para a casa. Inclusive os livros de papel. Não há muito tempo fui surpreendida com essa cortesia nas livrarias físicas: confortáveis sofás onde o leitor pode se esparramar e ler parte de um livro, antes de decidir se deseja levá-lo para compor a biblioteca pessoal. Mas por incrível que pareça, só acontece nas grandes cidades. Nas pequenas cidades, o livro está encapado e você precisa passar pelo constrangimento de solicitar ao balconista se pode romper o invólucro para folhea-lo. Ou, no caso de comprar por via digital, nem isso. Compra- se, paga-se, demora-se intermináveis 7 a 10 dias para que o correio entregue a mercadoria literária, e seja o que Deus quiser o seu conteúdo.

Com o Kindle isso acabou! Nunca é demais enfatizar o quanto é libertador pedir 100 vezes 100 amostras grátis, todos os dias,- para ser bem exagerada- ler cerca de 50 a 70 páginas, de cada amostra solicitada, sem custo algum, e só então decidir- à meia noite- se você deseja terminar de ler o livro, pedir com um clic, debaixo das cobertas, e sem digitar nenhum dado pessoal, receber na tela a informação: “ seu pedido está sendo baixado e dentro de alguns segundos estará disponível na tela do seu kindle.”
Uau, isso é maravilhoso.

Detalhe: depois que o livro é baixado – o que realmente demora apenas alguns segundos – quando você o abre, pela primeira vez, ele lhe remete exatamente ao ponto em que você parou, enquanto lia a amostra grátis.

Em quarto lugar: não importa quantas vezes você interrompa a leitura, ao reabrir o livro pela capa, ele te leva, obedientemente, ao ponto em que você o deixou na leitura anterior.

Em quinto lugar: levar todos os livros que você possui, em todas as viagens que faz. Sacar todos os livros, em qualquer lugar: no aeroporto, na sala de espera, na praia, na cama, no jardim. Observa-los alinhados na estante virtual, ou em coleções que você mesmo organiza, e decidir qual deles lhe fará companhia, naquele momento. Isso é verdadeiramente maravilhoso! E mais um detalhe: se você estiver lendo um livro considerado erótico, como 50 tons de cinza, não vai fixar roxa de vergonha, na frente das pessoas, porque ninguém jamais saberá que livro você está lendo, naquele dispositivo discreto e vedado a terceiros.

Em sexto lugar: o objeto tem conforto tátil e características pessoais que nenhum livro fisico pode oferecer. É pequenino e leve. Não faz orelhas. Pode ser folheado, sem medo de perder a posição. Tem a delicadeza de um “biscuit”, mas é forte tecnologicamente. A bateria dura muito! Vence com dignidade mais de um dia de leitura desbravada, como são os meus dias. A luz embutida proporciona a leitura no escuro do quarto. Não cansa visualmente. Pode-se fazer anotações sem destruir a aparência e causar estragos, como no livro físico. Pode-se compartilhar impressões com outros leitores. Pode-se sublinhar e destacar as partes mais interessantes e esses destaques são facilmente encontrados. Fornece o tempo restante no capítulo ou no livro, o que nem sempre corresponde à minha velocidade de leitura, que graças a Deus, é maior do que a média computada.

Em sétimo lugar: faz-se uma tremenda economia! No meu caso, nunca mais comprei livros por impulso, porque estava numa grande livraria e precisava levar vários volumes ao mesmo tempo. Agora, com tranquilidade, analiso todas as amostras. Leio as avaliações de terceiros. Só compro se realmente gosto muito. Para quem, como eu, qualquer leitura cumpre a função de saciar a compulsão- , até, em último caso, bula de remédio,- posso me dar ao luxo de explorar muitas amostras grátis, satisfazendo com elas a minha necessidade compulsiva, até realmente encontrar uma história que me revire por inteiro, e só então finalizar a comercialização para ler o livro até o fim.

Em oitavo lugar: um adendo que nem cabe nas características do Kindle, mas é um acessório ao qual poucos resistem sem adquirir: a capa para o dispositivo. Um conselho: nunca compre a capa do Kindle na Amazon. Compre na Ebay. A capa oficial do Kindle é muito cara, custa mais de 1/3 do valor do aparelho. Na Ebay o custo é quase dez vezes menor. Eu comprei as duas, porque não tive paciência para esperar a minha capa do Ebay vir da China, de navio. Então, comprei junto com o Kindle, a capa oficial. Mas ao chegar a outra, me arrependi: é tão boa quanto, o que equivale a dizer que as duas se merecem no conceito Shing ling. Sem nota definida. Só o tempo dirá o valor de cada uma delas, mas eu desconfio que as duas se merecem.

E você merece um Kindle para dar adeus a todas as desvantagens de um livro físico que, para mim, se resumem a poucos mas decisivos ítens: economia de papel, – com menos custos ecológicos e mais arvorezinhas verdejantes – e liberação de espaço físico – de novo com menos custos ecológicos, menos estantes, menos árvores abatidas, menos pó nas prateleiras, menos conjunto de circunstâncias limitantes que acabei de descrever.

Sim, ainda aceito livros físicos de presente. E o meu aniversário é no dia 31 de outubro. Parei de contabilizar os anos, mas o carinho de um livro é sempre muito bem vindo, todos os anos da minha vida.

 

Este texto foi enviado pela leitora Ana Maria Ribas Bernardelli, do blog AnaMariaRibas.com.br

O texto original você pode conferir aqui: Sete motivos para adquirir um dispositivo eletrônico para leitura

4 comentários em “Sete motivos para adquirir um dispositivo eletrônico para leitura

  • 4 de março de 2016 em 14:14
    Permalink

    No momento estou vivendo a mesma “lua de mel”. Comprei o meu na última segunda-feira e não consigo mais parar de ler nele 🙂

    Resposta
  • 22 de abril de 2016 em 10:19
    Permalink

    A tela do paperwhite aem brilho algum eh boa pra ler? Pq na saraiva vi o Lev que nao tinha brilho lado a lado com o que tinha brilho, e quando tirei o brilho todo do mis caro, a tela do sem brilho parecia melhor. Parecia papel físico perfeitamente. Já no que tem brilho aparentou um pouco mais de uma tela de diapositivo como tablet ou algo parecido

    Resposta
  • 26 de abril de 2016 em 09:30
    Permalink

    Olá, Eduardo. Não conheço o produto da Saraiva. O meu Kindle me traz conforto visual, não sinto cansaço mesmo lendo muitas horas por dia. Não acredito que se pareça com uma textura de papel, mas também não fico lembrando que não é. O que me apaixona é a comodidade de levar na bolsa a minha biblioteca sem ter que ficar limpando livros que ocupam espaço pela casa, e cujas folhas amarelam com o tempo. O que aprecio no Kindle além da comodidade é a ilusão da permanência. Em tese, terei os meus livros sem desgaste para sempre. Viu que saiu o novo modelo, muito mais fino? E mais caro, também! Rsrs.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: